Ação Social


Estamos incumbidos de promover a qualidade de vida dos nossos cidadãos, pelo que continuaremos a apostar em medidas no domínio da ação social, com particular foco naquelas que contribuam para a promoção da coesão social e a igualdade de oportunidades.


28 Janeiro, 2017
Cartão Sénior

Cartão Municipal Sénior

O Cartão Municipal Sénior já é uma realidade no nosso concelho. É atribuído, de forma gratuita, a todos os munícipes que o requeiram e que, de […]
3 Dezembro, 2016
inauguracao-da_xii_mostra_social_pacos_ferreira_2016_1

Inauguração da XII Mostra Social de Paços de Ferreira

O Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Dr. Humberto Brito, acompanhado pela Vereadora da Acção Social, Dra. Filomena Silva, e pelo Vereador Dr. Joaquim […]

Mais Apoio às Famílias

Medidas no domínio da ação social, com particular foco naquelas que contribuam para a promoção da coesão social e a igualdade de oportunidades
balcao_social_familia

Acreditar na Família é Construir o Futuro.

Para quê?

Promover o bem-estar das populações,...
Promover o bem-estar das populações, em particular daquelas que, pela sua condição social e económica, se encontram em situação de vulnerabilidade de pobreza e exclusão social, colocando ao seu dispor meios que lhe permitam minimizar e, se possível, suprir as desvantagens sociais que enfrentam.

Como?

Através de medidas de apoio socioeconómico ..
Através de medidas de apoio socioeconómico e programas de Capacitação Pessoal e Social, tais como:
  • Apoio financeiro;
  • Apoio alimentar;
  • Atividades lúdico-desportivas;
  • Teatro Municipal Sénior;
  • Utilização gratuita dos equipamentos desportivos;
  • Taxa de Isenção de IMI;
  • Tarifário social de Resíduos Sólidos Urbanos;
  • Programa Férias a Mexer – Verão Azul;
  • Apoios ao desporto;
  • Habitação social;
  • Apoio à inserção laboral;
  • Habitação Jovem;
  • Cartão Municipal Sénior.

Quem?

Famílias e munícipes a quem se identifique carência económica...
Famílias e munícipes a quem se identifique carência económica, desigualdade de oportunidades e necessidade de orientação para a resolução de situações problemáticas do dia-a-dia.

Banco de Voluntariado

O Banco Local de Voluntariado é um espaço de encontro entre pessoas e organizações que expressam a sua vontade para serem voluntárias. O voluntariado é uma atividade inerente ao exercício de cidadania que se traduz numa relação solidária para com o próximo, participando, de forma livre e organizada, na solução dos problemas que afetam a sociedade em geral
Tornar-se um Voluntário

Para quê?

A concentração de vontades em ser-se voluntário...
A concentração de vontades em ser-se voluntário permite que haja uma resposta mais adequada e rápida a cada situação de necessidade.
Voluntários, e instituições que deles precisam, sabem que têm aqui um local de inscrição, formação e dinamização, bem como um encaminhamento para as demais solicitações, podendo haver uma sinergia de esforços e uma melhor gestão de recursos.

Como?

Em funcionamento desde 2003, nas instalações do Município...

Em funcionamento desde 2003, nas instalações do Município, o Banco Local de Voluntariado tem como objetivos:

  • Promover o encontro entre a oferta e a procura de voluntariado;
  • Sensibilizar os cidadãos para o voluntariado;
  • Divulgar projetos e oportunidades de voluntariado;
  • Contribuir para o aprofundamento do conhecimento do voluntariado;
  • Acolher candidaturas de pessoas interessadas em fazer voluntariado e proceder ao seu encaminhamento para as entidades promotoras de voluntariado;
  • Disponibilizar ao público informações sobre o voluntariado.

Quem?

Todos os indivíduos que de forma livre...
Todos os indivíduos que de forma livre, desinteressada e responsável se comprometam, de acordo com as suas aptidões e o seu tempo livre, a realizarem ações de voluntariado no âmbito de uma entidade promotora.

Cartão Municipal Sénior

O Cartão Municipal Sénior destina-se ao apoio de idosos residentes no Município de Paços de Ferreira e que se encontram em situação de vulnerabilidade e carência económica e financeira

Para quê?

Os idosos são uma camada populacional...
Os idosos são uma camada populacional altamente vulnerável e desprotegida nas sociedades atuais.
O Município entendeu como prioritário o apoio a esta camada populacional no sentido da sua dignificação e melhoria de condições de vida.

Como?

Os apoios concedidos com a atribuição...
Os apoios concedidos com a atribuição deste cartão são de cariz social, cultural, desportivo, de lazer e de saúde.
Constituído por três escalões diferenciadores, em função dos rendimentos per-capita do agregado, o Cartão Municipal Sénior pode ser requerido na autarquia nos serviços de Ação Social.
Com este cartão os idosos pacenses poderão obter apoios em diversos locais do concelho de Paços de Ferreira.

Quem?

Cidadãos do concelho maiores de 65 anos...
Cidadãos do concelho maiores de 65 anos, que se encontrem em situação de vulnerabilidade, carência económica e financeira.

Os idosos são acervos preciosos para quem quer andar à frente de seu tempo.

Balcão Social

Resposta social de apoio em bens de primeira necessidade. É um espaço aberto à comunidade com o principal objetivo de ir ao encontro das necessidades da população. O Balcão Social apresenta-se como um recurso complementar às intervenções de carácter social dirigidas a agregados carenciados do concelho.

Para quê?

Ser um complemento aos escassos recursos disponíveis...
Ser um complemento aos escassos recursos disponíveis por alguns agregados familiares, deixando-os como uma maior folga financeira para as necessidades prementes que têm.
Surge ainda como apoio ao trabalho desenvolvido por outras entidades concelhias, em plena parceria de esforços e gestão de recursos.

Como?

Rentabilizando os recursos disponibilizados pela comunidade através da doação...
Rentabilizando os recursos disponibilizados pela comunidade através da doação de bens de que prescindem e que vão de encontro às necessidades elementares de outras pessoas.
Pretende-se assim contribuir para a satisfação das necessidades imediatas das famílias, melhorar as suas condições de vida, principalmente das que se encontram em maior vulnerabilidade económica e social.

Local e Horário: Rua Capitão da Praça, nº XX. De 2ª a 6ª feira das 9h às 12h e das 14h às 18h.

Quem?

Famílias e munícipes com carências económicas...
Famílias e munícipes com carências económicas e em situações de privação de bens de primeira necessidade, nomeadamente: alimentos, calçado, vestuário, brinquedos, entre outros.

Com Responsabilidade e Respeito podemos ser melhores e fazer muito mais pelas pessoas!

Comissão Proteção Crianças e Jovens

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens é uma instituição oficial não judiciária com autonomia funcional que visa promover os direitos da criança e do jovem e prevenir ou pôr termo a situações susceptíveis de afetar a sua segurança, saúde, formação, educação ou desenvolvimento integral. Exerce, também, as suas atribuições em conformidade com a lei e delibera com imparcialidade e independência

Para quê?

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens...
A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens é uma instituição oficial não judicial com autonomia funcional. Visa promover os direitos da criança e do jovem em perigo, de forma a garantir o seu bem-estar e desenvolvimento integral e prevenir ou pôr termo a situações suscetíveis de afetar a sua segurança, saúde, formação, educação ou desenvolvimento integral. (Lei nº 147/99 de 1 de Setembro, com atual redação na Lei nº142/2015 de 8 de setembro).

Como?

Podem sinalizar as entidades com competências ...
Podem sinalizar as entidades com competências em matéria de infância e juventude (infantários; creches; escolas; instituições de saúde; serviços de ação social…); qualquer pessoa que tenha conhecimento de crianças ou jovens em situação de risco/ perigo; as próprias crianças e jovens; as entidades policiais e as autoridades judiciárias. Diretamente à CPCJ existente na área de residência da criança ou do jovem, por escrito (email, carta ou fax), pessoalmente ou por telefone.
Morada: Praça da República, nº46; 4590-527 Paços de Ferreira. Contactos: 255 860 728
Email: cpcjpferreira@cm-pacosdeferreira.pt

Quem?

Crianças e jovens com menos de 18 anos...
Crianças e jovens com menos de 18 anos, podendo ir até aos 21 anos nos casos de jovens que tenham solicitado a continuação da intervenção antes de atingirem a maioridade. Quando se tiver conhecimento que a criança ou o jovem se encontra numa das seguintes situações: está abandonada ou vive entregue a si própria; sofre maus tratos físicos ou psicológicos; é vítima de abuso sexual; é obrigada a atividades ou trabalhos inadequados à sua idade; não recebe os cuidados ou a afeição adequados à sua idade; assume comportamentos ou se entrega a atividades ou consumos que afetem gravemente a sua saúde, segurança, formação, educação, sem que os pais/cuidadores se oponham; está exposta a situações que afetem a segurança e bem estar físico e emocional: violência doméstica, consumos de álcool/drogas.
home_school_2

Para que possam ter um futuro melhor

Rede Social

A Rede Social é um Programa que incentiva os organismos do setor público (serviços desconcentrados e autarquias locais), instituições solidárias e outras entidades que trabalham na área da ação social, a conjugarem os seus esforços para prevenir, atenuar ou erradicar situações de pobreza e exclusão e promover o desenvolvimento social local através de um trabalho em parceria.
rede_maos

Porpocionar um futuro melhor

Para quê?

Com a Rede Social procura-se...

Com a Rede Social procura-se reforçar o sentido coletivo na resolução dos problemas, levando a uma maior articulação das entidades entre si (públicas e privadas sem fins lucrativos), quebrando com o seu isolamento e rompendo com as intervenções sociais fragmentadas e atomizadas.

Esta é uma das mais-valias da Rede Social, além de modificar o relacionamento da Administração Pública com as Instituições Particulares de Solidariedade Social, passando de um posicionamento vertical para um mais horizontal, potenciando, assim o surgimento de parcerias locais.

Só através de uma ação colocada em rede, muito especialmente de uma rede local dinâmica onde imperem os princípios da Subsidiariedade, da Integração, da Articulação, da Participação e Inovação que se conseguirá lidar com muitos problemas sociais de carência e exclusão.

Trabalhar em rede significa que os agentes locais estão interessados num verdadeiro processo de mudança, a qual implica uma corresponsabilidade dos atores envolvidos quanto ao sucesso do conjunto da intervenção, pressupondo igualmente que os agentes se encontrem em condições de definir, para além dos seus interesses e até divergências, uma estratégia comum e consensual para a atuação social.

Como?

O trabalho da Rede Social ...

O trabalho da Rede Social tem um papel privilegiado. Neste sentido, as diferentes entidades parceiras são agentes estratégicos na ação concertada junto da comunidade, dando resposta a diferentes áreas de intervenção prioritária.
O processo de desenvolvimento da Rede Social incorpora ciclos de planeamento participado que se iniciam com o Diagnóstico Social e terminam com a avaliação do ciclo de planeamento.

Pretende-se assim com este Programa:

  • Induzir o planeamento estratégico participado;
  • Promover a coordenação das intervenções ao nível concelhio e de freguesia;
  • Procurar soluções para problemas transversais que afetem famílias e pessoas em situação de pobreza e exclusão social;
  • Formar e qualificar agentes envolvidos nos processos de desenvolvimento local, no âmbito da Rede Social;
  • Promover uma cobertura adequada do concelho por serviços e equipamentos;
  • Potenciar e divulgar o conhecimento sobre as realidades concelhias.

Quem?

Organismos do setor público...

Organismos do setor público (serviços desconcentrados e autarquia local), instituições solidárias e outras entidades que trabalhem na área da ação social

Saude

O Município está plenamente comprometido com o bem-estar de todos, pelo que a Saúde deverá representar um bem-estar social que se traduz na alegria de viver, no bem-estar físico, psíquico e económico do indivíduo inserido na família e na comunidade

Para quê?

No país existe um hiato muito grande...

No país existe um hiato muito grande no apoio à saúde oral por parte do Sistema Nacional de Saúde. Conscientes desta problemática associada aos gastos inerentes com a saúde oral, o município decidiu criar um sistema de apoio à nossa população que passa pelo tratamento, implantes, limpezas, próteses, entre outros.

Como?

Através da avaliação da situação...

Através da avaliação da situação socio económica do requerente, inscrição em base de dados e organização de transporte. Este apoio foi possível e é concedido através de dois protocolos criados entre o município e outras entidades

Quem?

Famílias e Munícipes com carências económicas...

Famílias e Munícipes com carências económicas, de acordo com os seguintes protocolos:

  • Protocolo com a CESPU (para munícipes com mais de 4 anos);
  • Paços com Sorriso - Protocolo com Clínicas Dentárias concelhias, com a vertente de prevenção da saúde oral dirigido a crianças do 1.º ciclo do ensino básico.

Paços com Sorriso

acao_social_img_dest

Unidade Saúde Móvel

Programa de apoio de proximidade junto dos cidadãos do concelho com idade maior ou igual a 65 anos ou com deficiência, no sentido de prevenção do isolamento e da desproteção social ou familiar.

Formulário de Acompanhamento

Para quê?

Pretende-se intervir no domicílio...

Pretende-se intervir no domicílio, complementando o trabalho efetuado pelas Unidades de Saúde locais, através de profissionais afetos ao projeto – essencialmente voluntários/ profissionais de saúde (enfermeiros), de psicologia e assistentes ou educadores sociais.

Como?

Num contacto direto e estreito com os munícipes...

Num contacto direto e estreito com os munícipes, esta Unidade efetua rastreios de saúde, acompanhamento psicossocial dos cidadãos, assim como sinalizam situações que carecem de intervenção médica, via Unidades de Saúde, ou de intervenção social, via Rede Social do concelho ou serviços de ação social do Município de Paços de Ferreira. A Unidade Móvel colabora ainda com a Secção de Programas Especiais da GNR, nas acções Idoso em Segurança.

  • Medição e avaliação de tensões arteriais, pulso e glicémia;
  • Sensibilização da população para os problemas de saúde mais frequentes;
  • Sensibilização para prática de estilos de vida saudáveis;
  • Informação sobre risco sazonal através de ensino individual e no local.

Telefone: 255 86 07 29
E-mail: unidade.movel@cm-pacosdeferreira.pt

Quem?

Idosos maiores de 65 anos, residentes...

Idosos maiores de 65 anos, residentes no concelho, que se encontrem em situação de vulnerabilidade física, emocional/psicológica, familiar, carência económica e/ou financeira.